Tenho uma Yamaha Fazer 250 e vi no site da Yamaha que esta moto tem 21 HP de força. No entanto, vi que essa capacidade informada em HP das motos não corresponde à realidade. Também queria saber a relação entre a questão de HP e cilindrada (qual é a mais apropriada para se mencionar). Outra questão é a defasagem em percentual da velocidade real das motos.

Caro Vamberto !

De fato, a potência máxima informada pelos fabricantes não é a medida na roda, mas a potência apenas do motor, que se mede em bancada. Isto não confira um erro ou uma tentativa de manipular a opinião, no entanto, é bom ter em mente que esta potência declarada, pura e simplesmente, não pode ser usada em termos comparativos de desempenho, pois outros fatores como peso, relações de marcha, aerodinâmica, etc é que vão compor um conjunto completo de variáveis que determinarão quão performante será uma ou outra moto.

A potência de bancada do motor será sempre maior do que a potência realmente transferida para a roda.

Ainda, há mesmo uma confusão envolvendo potência e cilindrada. São duas medidas diferentes, potência é a rapidez com que um trabalho é realizado, enquanto cilindrada é a medida volumétrica do somatório das câmaras de combustão de um motor.

De um forma bem simplista, potência indica o quanto uma determinada moto tem potêncial para se deslocar, quanto mais potência, mais veloz poderá ser a motor.

Cilindrada, por sua vez, indica apenas o tamanho do motor. Não há, porém, uma correlação direta entre tamanho do motor e potência. Por exemplo, um motor de uma moto esportiva de 600 cilindradas é bem mais potente do que uma moto custom de 1.200 cilindradas.

Por fim, o velocímetro realmente não marca a velocidade real da moto em movimento. Esta diferença se deve ao sistema de medição depender de cabos e engrenagens, o que gera uma margem de erro. Esta margem será tanto maior quanto maior for a velocidade empregada, ou seja, quanto mais veloz for a velocidade, maior é o erro de marcação, normalmente apresentando uma velocidade maior do que a real.

A margem de erro de um velocímetro digítal é menor do que a de um analógico, mas, ainda assim, também ocorre. Em média, um velocímetro apresenta uma margem de erro da ordem de 5%, mais comumente para uma velocidade superior à verdadeira. Em motos superesportivas, com velocidades próximas dos 300 Km/h este erro pode chegar a ficar em torno da casa dos 10%, ou seja, uma moto que marque 300 no velocímetro poderá estar, na verdade, a 270 Km/h.

Abraços,

Gisele Flores & Jaime Nazário
editores-chefes
www.sobremotos.com.br

Fonte: http://sobremotos.solupress.com/sobremotos/news/article.asp?articleid=4677

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...